Agende uma Demo >

O Maior Hub de RH do Brasil | Taqe

Nova call to action

3 dicas para melhores tomadas de decisão

Marcelo Marcondes - Atração de Candidatos

Antes de tudo é importante saber que para a tomada de uma boa decisão é preciso entender duas coisas: a primeira é como as diferentes escolhas mudam a probabilidade de resultados distintos. A segunda é saber até que ponto cada um desses resultados é desejado. 

Veja 3 regras que não podem ser esquecidas durante um processo de tomada de decisão, pois elas melhoram a sua capacidade de prever os efeitos de suas escolhas e avaliar se são desejáveis.

1.       Tenha dúvidas

Daniel Kahneman, que é psicólogo e condecorado com o Nobel de Economia, já diz que o excesso de confiança é o primeiro elemento que deve ser excluído do processo de decisão. O excesso de confiança não é um fenômeno universal, pois depende de fatores como cultura e personalidade, porém um dos grandes erros é ser confiante demais a cada passo para a tomada de decisão.

Em resumo, seja menos seguro a respeito de tudo. Isso fará com que você reveja a lógica da sua decisão e que você se prepare para resultados diferentes dos esperados. Veja um exemplo: se você tiver a certeza o caminho A vai lhe levar até o resultado B, como você pensaria em outras formas de chegar até B, sem considerar A?

2.Questione sobre a frequência dos acontecimentos

Vamos expor essa regra com uma história de Kahneman. Ele conta que estava colaborando com um livro didático e solicitou que os outros co-autores estimassem a data de conclusão desta etapa, que era o primeiro rascunho. Todos falaram de prazos que giravam em torno entre 18 e 30 meses. Kahneman então perguntou para um dos coautores que já tinha experiência com esse tipo de projeto quanto tempo durava em média. A resposta foi que 40% dos grupos nunca terminam de fato o livro e que ele não conseguia dar um exemplo de um livro que tivesse sido finalizado antes de sete anos.

O aprendizado está em se questionar sobre quanto tempo normalmente leva aquilo que você está prestes a fazer. Se a empresa está considerando fazer uma aquisição, questione-se sobre a frequência que as aquisições desse tipo aumentam o valor do comprador ou ampliam objetivos. É claro que cada caso é um caso, porém a famosa probabilidade é benéfica e deve ser um fator a ser considerado durante o processo de tomada de decisão. Portanto, sempre tenha em mente a adoção de uma visão externa antes de considerar os detalhes da sua própria situação.

3.Pense de modo probabilístico aprendendo o básico sobre o assunto

Essa é a regra que pode levar algum tempo para você adquirir habilidade. Os estudos de probabilidade permitem que as pessoas façam predições mais realistas para evitar tendências cognitivas.

Se você investir em melhorar a sua capacidade de pensar de forma probabilística, realmente considerando todos os fatores da situação irá ajudar você a se dar melhor nas duas primeiras regras deste artigo. Você será capaz de expressar a sua incerteza e pensar de forma numérica sobre a frequência que isso ocorre. Essa terceira regra turbina as duas primeiras. As três regras juntas são poderosas e resultam em melhores tomadas de decisão.

Dominar as três regras exige prática e um pouco de conhecimento. Depois disso dominado, entrará uma quarta regra: não se tornar excessivamente confiante acerca da sua capacidade de tomar decisão. Mesmo diante de uma decisão considerada fácil, é importante manter pensamento e domínio das regras. Lembre-se: tomamos decisões diariamente.

https://hbrbr.uol.com.br/como-melhorar-a-tomada-de-decisao/

Topics: Gestão de pessoas

Nova call to action

Conteúdo exclusivo sobre RH! Inscreva-se:

Últimos Posts