Agende uma Demo >

O Maior Hub de RH do Brasil | Taqe

Nova call to action

Como o People Analytics está mudando os recursos humanos

Ana Maria Correa

As equipes de RH são a fronteira final dos dados e análises

Se você esteve em uma sala de reuniões nos últimos anos, provavelmente já ouviu a frase "orientada a dados" mais de algumas vezes. Vimos o big data proliferar entre departamentos: as equipes de marketing evoluíram dos dias "Mad Men" para uma abordagem "prove everything" que exige o ROI verdadeiro de cada real gasto. Os departamentos de vendas estão focados em métricas como pontuação de leads, taxas de fechamento e redução de rotatividade. Os departamentos de finanças estão usando big data para fazer investimentos mais inteligentes e maximizar seus retornos.

Um departamento que tem sido um pouco mais lento para adotar uma filosofia orientada a dados, apesar de focar o recurso mais importante dentro de uma organização, é o de Recursos Humanos. As pessoas são amplamente consideradas como o "recurso mais importante" pelos executivos em todos os setores. E, no entanto, parece haver mais instinto nos departamentos de RH, enquanto os dados influenciam as mudanças em todo o resto da organização.

Se as pessoas são realmente o seu recurso mais importante, você não gostaria de saber como elas estão se sentindo com mais regularidade, ao invés de anualmente, através de uma pesquisa estática (e muito chata) com os funcionários? Ou pior ... uma entrevista de saída depois que seja tarde demais?

Tudo isso dito, a mentalidade da velha escola finalmente está começando a mudar. Hoje, as plataformas de análise de pessoas estão revolucionando a maneira como as organizações desenvolvem e mantêm uma cultura positiva no local de trabalho. Eles estão capacitando o RH com as informações e ferramentas necessárias para obter sucesso, em uma área amplamente anedótica antes do advento do big data. Longe vão os dias da pesquisa anual. Os funcionários estão se movendo mais rápido do que nunca. As organizações precisam ter a medida do envolvimento dos funcionários com muito mais regularidade.

Peakon é um exemplo de plataforma tecnológica que traz o feedback dos funcionários para a frente, integrando-se aos departamentos de RH para executar pesquisas de e-mail anônimas que avaliam a saúde dos funcionários em mais de uma dúzia de categorias. As ideias que eles descobrem podem ser bastante fascinantes: pode ser que os funcionários estejam descontentes com a falta de espaço para reuniões em um escritório específico ou que a carga de trabalho esteja se tornando um problema em uma região específica.

Para alguns, não é apenas a pesquisa - é uma vantagem competitiva que pode percorrer um longo caminho para descrever a saúde dos negócios. Talvez o melhor exemplo disso seja a EasyJet, que agora está publicando sua pontuação no Peakon em seus relatórios anuais e resultados.

O big data também pode fornecer informações em nível macro sobre determinados tópicos. Dadas as pesquisas com funcionários, a Peakon acumulou mais de 37 milhões de respostas de funcionários em 125 países em maio de 2019. Seu estudo mais recente, chamado The 9-Month Warning: Identifying Quitters before It's Too Late, aborda o tópico de atrito e examina os principais fatores que levar uma pessoa a sair. Em um nível alto, o estudo constatou que:

  •  Os funcionários deixam um trabalho que não é desafiador, mas não uma carga de trabalho pesada;
  • As pessoas saem quando não conseguem discutir salários, não porque se sentem mal recompensadas;
  • As pessoas deixam gerentes, não colegas, cultura ou empresa;
  •  As pessoas saem quando não vêem um caminho para o desenvolvimento pessoal.

Esse nível de análise só é possível porque os departamentos de RH estão abandonando a pesquisa anual, tornando-se mais proativos na maneira como estão engajando seu recurso mais valioso.

De muitas maneiras, o RH sente a última fronteira na adoção da mentalidade orientada por dados. Agora, estamos à beira da verdadeira integração de dados em RH, e há uma clara oportunidade para que as organizações se beneficiem e aproveitem os dados para se tornarem mais competitivas no mercado atuante.

https://www.inc.com/dave-kerpen/how-people-analytics-are-changing-human-resources.html?cid=search

Topics: Recrutamento e seleção, Gestão de pessoas

Nova call to action

Conteúdo exclusivo sobre RH! Inscreva-se:

Últimos Posts