Agende uma Demo >

O Maior Hub de RH do Brasil | Taqe

Employer branding: o que é, estratégias e implantação nas empresas

Marcelo Marcondes - Atração de Candidatos

Antes de pensar em melhorar a imagem de uma empresa, nada é mais importante que a realização de ações que tornem o lugar adequado e confortável aos seus funcionários, para que transpareça o mesmo sentimento aos seus clientes. E, para garantir tal melhora, hoje falaremos sobre a forma mais apropriada de fazer isso, seguindo as técnicas conhecidas como Employer Branding.

O que você irá conhecer

  1. O que é employer Branding?
  2. Estratégias de employer Branding
  3. Qual a importância do Employer Branding?
  4. Quem são os responsáveis pelo Employer Branding nas empresas?
  5. Como iniciar a implantação do Employer Branding?
  6. Ferramentas para aplicar o employer branding na sua empresa

O que é Employer Branding?

Conhecido como a “marca do empregador” em sua tradução livre, o termo colaborativo é usado para denominar um conjunto de técnicas, estratégias, ideias e conceitos que buscam definir uma imagem positiva para empresa, adequando-se de acordo com o desejo de seus proprietários de uma forma com que torne um local de trabalho receptivo para novos funcionários e agradável para os profissionais que ali estão presentes.

É fundamental que uma companhia mantenha uma boa relação e assim, possa passar uma imagem otimista para seus consumidores ou sem isso, ela não se mantém. No entanto, o conceito que nos aprofundaremos neste conteúdo dá um passo atrás nesse processo e, através de estratégias precisas, procura fazer com que essa imagem proporcionada ao seu público seja relacionada e repassada diretamente pelos membros mais importantes de sua composição, os funcionários. 

Por isso, ainda nesse método usado para o fornecimento de uma imagem benevolente da marca, o employer branding tem o propósito de auxiliar na absorção de talentos que se identifiquem com a empresa antes mesmo de se associarem com a instituição, promovendo a visão de um lugar próspero e agradável para se trabalhar.

Além de auxiliar na entrada de um prospecto à equipe, o profissional responsável pela gestão de talentos também tem o papel de evitar o excesso de rotatividade de funcionários, conhecida como turnover, durante o processo de adequação entre o papel e as necessidades do colaborador e a imagem desejada pelos proprietários para a marca.

Estratégias de Employer Branding

Não há uma única palavra mágica conhecida que faça um funcionário descontente se tornar um funcionário que “veste a camisa da empresa”. Porém, existem estratégias que, quando feitas com exatidão e sucesso, podem fazer com que ele se sinta mais habituado em seu ambiente de trabalho, gerando mais satisfação e produtividade.

Para que estratégias sejam capazes de realizar tal mudança significativa, devem ser associadas com ações e saírem do papel, principalmente. Antes de tudo, assim como qualquer plano brilhante, para ser executado com sucesso devem ser seguidos alguns passos preparatórios antes de pôr a mão na massa.

Planejamento

Primeiramente, se dá o planejamento de todo o processo. Nessa etapa são definidos quais passos serão dados, decisões serão tomadas e as ações que irão desencadear para a adequação da imagem interna da empresa. Para isso, é necessário que os gestores, gerentes e responsáveis de todos os setores da empresa estejam envolvidos com a ideia para que a empresa empregadora se alinhe por inteiro em um único caminho. 

E claro, o profissional que vai participar fundamentalmente da formação da estratégia, responsável pela execução do employer branding, deve estar devidamente correlacionar com o setor de RH (Recursos Humanos) da empresa para que possam alinhar ideias, limites, necessidades e outros fatores essenciais na mudança de clima do espaço.

Cultura da empresa

Esta fase, principalmente, deve desenrolar-se com a presença dos donos da empresa. Assuntos como cultura organizacional, perfil da empresa e mudanças significativas da dependência devem ser discutidos durante essa etapa do processo e somente eles são capacitados para este tipo de transformação.

Para iniciar o trabalho de reestruturação da imagem interna da empresa, ou seja, como ela é vista pelos próprios funcionários, é necessário estabelecer a cultura organizacional ou até mesmo, reajustá-la. Mais comum do que se pensa, é normal as empresas não possuírem missão, visão e valores definidos. Por isso, é importante estabelecê-los juntamente com a cultura e assim, divulgá-los devidamente.

De comum acordo com o RH, é apropriado que determine o perfil de funcionário da empresa para que sejam captados novos talentos logo durante o processo seletivo da companhia. Logo após, defina métodos que façam o próprio funcionário realizar o marketing da empresa, tais como o ajuste de benefícios, realização de confraternizações, envolvimento dos profissionais, etc.

Reformulação estrutural do ambiente

Mudanças em ambientes que estão comprometidos, podem ser bem vindas em casos específicos. Por isso, caso possua investimento e tenha notado descontentamento com o ambiente de trabalho, tente realizar modificações na estrutura da empresa, em suas cores e principalmente, ouvir sugestões de funcionários em mudanças desse porte. 

A inclusão dos colaboradores durante grande parte dos processos – em alguns casos, durante todos os processos – é de suma importância para um melhor alinhamento entre funcionário e empresa.

Comunicação Interna

Agora é a hora de tornar os funcionários protagonistas da empresa empregadora. Para dar um destaque maior de forma imparcial, normalmente são usadas datas festivas, aniversários e feedbacks que premiam os rendimentos mais notáveis. Aproveite a oportunidade para se comunicar sobre a empresa e o mercado de forma mais informal e direta, inserindo quadros de avisos em setores da empresa e iniciando a confecção de jornais internos.

Divulgue dados sobre o ramo de atuação, curiosidades do mundo, interações e principalmente, o envolvimento de funcionários durante sua prática podem ser esforços que mostrarão a importância do colaborador para a empresa.

Mídias sociais

Para realizar a divulgação da empresa e como ela pode ser um ótimo lugar para trabalhar, nada melhor que mostrá-la ao público, certo? Para isso, podem-se utilizar as mídias sociais da própria empresa. Mostre o dia a dia dos colaboradores, principalmente com o uso dos “stories” do Instagram, podendo dar uma visão melhor de dentro da empresa para aqueles que podem se interessar.

Além desse aplicativo, muitas empresas que são ativas na principal rede social de empregos do mundo, o LinkedIn, tende a possuírem um employer branding mais aproveitado. Por este meio, é possível localizar diferentes tipos de candidatos e assim, localizar aquele com o perfil adequado à empresa de forma remota e mais fácil.

Qual a importância do employer branding?

Após um plano bem executado, os frutos logo serão notados com o decorrer do tempo. Mas você deve estar se perguntando, o que a realização do employer branding vai provocar em uma empresa, como ela pode ser notada e principalmente, para quê faria todo esse trabalho.

Por isso, abaixo apontamos alguns dos mais importantes aspectos que ilustram de diferentes formas, os impactos positivos apresentados em uma organização após a efetuação de tal estratégia interna.

Como mencionamos, a exposição positiva das dependências da empresa e dos funcionários presentes nas imagens, mesmo que amadoras, podem proporcionar um ar de conforto e de um ambiente tranquilo, satisfatório para quem o assiste. Com isso, o interesse em captar novos candidatos, adeptos à cultura organizacional da empresa, tende a aumentar seus números, assim facilitando ao dar com novos talentos durante o processo de recrutamento do RH.

Funcionários contentes com seu emprego diminuem consideravelmente o número de turnovers, evitando desgaste e outros muitos procedimentos de quebra contratual com o colaborador. Quando esse número se encontra abaixo da média, a economia do capital é valorizada e a união entre os funcionários mantidos durante longos períodos pende a se manter ainda mais firme. 

Em meio às mudanças de humor e ambiente positivas, é normal imaginar que um colaborador satisfeito, é um colaborador que produz, se esforça e atinge objetivos ainda maiores junto à companhia. E para detectar o tamanho da transformação aplicada, é calculado o ROI (Retorno Sobre o Investimento) da empresa. A fórmula é responsável por mostrar em números, mesmo que não seja o principal resultado do experimento, se o método tem produzido mais frutos do que despesas para a companhia.

Bem simples, basta realizar a seguinte equação:

ROI = (RECEITA – CUSTO) x 100
                        CUSTO

No vídeo abaixo produzido pelo canal Instituto Montanari, é possível entender mais sobre o ROI e como realizar o seu cálculo.

 

Lembrando que, modificações deste tipo tende a possuírem um prazo indeterminado para demonstrarem um resultado positivo, podendo ser curto até em um longo tempo.

Quem são os responsáveis pelo employer branding nas empresas?

Como muitos dos processos de mudanças dentro de uma empresa, é claro que o departamento de RH deve estar devidamente incluído e relacionado em tal estratégia. Porém, durante o employer branding, os profissionais do setor devem contar com a ajuda de todos os outros departamentos para a realização com coesão e sucesso do procedimento, principalmente o marketing da empresa.  Os setores juntos devem divulgar a ideia para todo o local, atingindo funcionários de diferentes idades com a devida atenção para que seja passada para todos os colaboradores. 

A participação de todos, principalmente durante este processo, é peça chave para o sucesso do employer branding em uma organização. De forma geral, é possível afirmar que todos os funcionários da empresa em algum momento devem ser responsáveis pela prática dentro do espaço de trabalho.

Como iniciar a implantação do employer branding?

Agora que já sabe o que é o employer branding, quais são as estratégias para realizá-lo, a sua importância e quem são os responsáveis por sua implementação, comece a aplicá-lo em sua empresa ou no local onde trabalha. 

É ideal que, ao mencionar o assunto pela primeira vez em reuniões, palestras ou rodas de amigos, você já tenha grande parte do plano bem pensado em sua cabeça, alinhando-o com a cultura organizacional implantada e do desejo dos líderes e CEOs. A introdução de uma cultura única para todos, atendendo às necessidades dos colaboradores e o segmento da marca, deve ser feita lentamente para melhor obtenção de resultados e a preservação de investimentos realizados para o decorrer do experimento.

Além de demonstrar as melhorias internamente, é hora de mostrar sua empresa para o mundo. Com o uso das redes sociais, se tornou cada vez mais fácil de um candidato conhecer o lugar onde deseja trabalhar antes mesmo de se candidatar para uma vaga. O alto astral, liberdade de expressão e o contentamento dos funcionários durante o expediente representados nos aplicativos facilitam o reconhecimento de talentos com a empresa de uma forma mais fácil e rápida.

Com isso, a forma de abordá-los ao demonstrarem tal interesse deve ser feita de uma maneira na qual o recrutador possa, antes de tudo, apresentar a cultura da empresa, o dia a dia e assim, exibir de forma presencial, a união dos funcionários e a boa imagem da empresa.

Ferramentas para aplicar o employer branding na sua empresa

Além de todas as ferramentas transcritas ao decorrer do conteúdo, é possível fazer com que o employer branding funcione em sua empresa com a exploração de meios menos usados que os demais, mas importantes para o crescimento do método. Para facilitar o contato e a interação entre os funcionários, geralmente são usadas plataformas para conectá-los quando presentes nas instalações da organização, tal processo é conhecido como a intercomunicação. Fora o contato entre os próprios colaboradores de outros setores, essa forma de comunicação é usada como um porta-voz para o compartilhamento de opiniões, dúvidas, críticas e sugestões diretas e formais para o departamento responsável que, neste caso, é o RH.

Com a implementação da intercomunicação, torna-se mais fácil que a empresa conheça ainda mais o tipo de funcionário que emprega, assim abrindo oportunidades como o surgimento de uma página de carreira online para a companhia.

Mesmo com a aplicação das estratégias mencionadas, é possível que o employer branding não funcione da maneira ideal planejada. Por isso, é importante que o proprietário conheça seus funcionários e deixe claro qual é a única cultura organizacional que deseja aplicar e que ela seja feita aos poucos, buscando sempre a melhor imagem possível para dentro e fora da empresa.

Quer fortalecer sua marca empregadora? Utilize gamificação no processo seletivo da sua empresa, acesse: www.taqe.com.br

Topics: Gestão de pessoas

Nova call to action