Agende uma Demo >

O Maior Hub de RH do Brasil | Taqe

Nova call to action

Melhorando a experiência dos funcionários na linha de frente

Marcelo Marcondes - Atração de Candidatos

Há um segredo sobre o qual não falamos frequentemente nos eventos de administração de capital humano: nem todo mundo pode fazer seu trabalho em um laptop no conforto do sofá ou em uma escapada exótica à beira-mar. Pense no barista da cafeteria onde você vai todas as manhãs, que sempre recebe seu pedido da maneira certa, o agente de passagens aéreas que de alguma forma o levou no voo de última hora para não perder o casamento do seu melhor amigo, o professor de pré-escola que pegou a mão de sua filha de três anos naquela primeira manhã ou o profissional de saúde em casa que permitiu que sua avó continuasse vivendo independentemente em sua amada casa.

Essas são posições em que os funcionários devem estar presentes para fazer seu trabalho. Os trabalhadores da linha de frente compõem a maior parte da força de trabalho em todo o mundo, mas esses trabalhos que exigem presença geralmente não são considerados nas discussões sobre equilíbrio entre vida profissional e profissional, crescimento na carreira, experiência dos funcionários, benefícios criativos, etc. Enfermeiras, bombeiros, motoristas de caminhão e mecânicos são apenas alguns exemplos de trabalhadores que devem estar presentes em um local específico e em um horário específico para realizar seus trabalhos. No entanto, grande parte do senso comum destinado a aumentar a experiência dos funcionários no trabalho pressupõe trabalhos que podem ser realizados remotamente através de um laptop.

Nova call to action

Nós gastamos uma parte significativa do nosso tempo de vigília no trabalho. Se esse tempo é gasto em uma cultura no local de trabalho onde os funcionários se sentem respeitados e valorizados, eles são mais produtivos e satisfeitos no trabalho. Eles se beneficiam, suas famílias se beneficiam e a sociedade se beneficia. Por outro lado, se as pessoas passam os dias no trabalho sentindo-se desrespeitadas e sem apoio, essa má experiência pode alimentar uma espiral descendente de desgaste, depressão e problemas de saúde. Eles sofrem, sua família e amigos são afetados e a sociedade em torno deles é um pouco pior.

No Workforce Institute, todos os membros do conselho compartilham o compromisso de melhorar a vida das pessoas no trabalho, enquanto enfrentam esse desafio de muitas perspectivas diferentes. Eles são líderes empresariais, consultores, profissionais de RH, autores, professores e futuristas. Juntos, propomos as seguintes ideias para aumentar a experiência dos funcionários de todos os trabalhadores.

 

Trabalhe à sua maneira

Trabalhar à sua maneira significa ter mais controle sobre quando - e, se possível - onde alguém trabalha. Ter controle sobre a agenda é um fator crítico da satisfação do trabalhador, independentemente do tipo de trabalho. Um estudo de 2018 do National Bureau of Economic Research estimou que as pessoas valorizariam ter a capacidade de definir seu próprio cronograma em vez de trabalhar um cronograma definido pelo gerente, tanto quanto um aumento de 9,4% nos salários. Em pesquisa realizada em 2019 entre os entrevistados da Geração Z em todo o mundo, 35% não tolerariam ser forçados a trabalhar quando não querem. Essas e muitas outras fontes de dados destacam a forte preferência que os trabalhadores têm pelos empregadores que apoiarão sua necessidade de flexibilidade investindo em processos e tecnologia que aumentam suas opções de mobilidade e autoatendimento.

Os trabalhadores da geração Y e da geração Z (ou seja, a maioria dos trabalhadores atuais) têm expectativas diferentes em relação à vida profissional que as gerações que os precedem. Os líderes precisarão equilibrar o desejo de flexibilidade dos trabalhadores da linha de frente com a necessidade organizacional de ter as pessoas certas, no lugar certo, no momento certo, se esperarem mantê-los.

Trabalhe de forma inteligente

A análise de dados, a inteligência artificial e outras tecnologias avançadas estão mudando fundamentalmente o local de trabalho, ajudando-nos a trabalhar de maneira mais inteligente. Trabalhar de forma mais inteligente significa aproveitar a tecnologia disponível para aliviar a quantidade de trabalho repetitivo e transacional realizado pelas pessoas, para que elas possam gastar sua inteligência em trabalhos que as máquinas não podem fazer tão bem, como criatividade e construção de relacionamentos.

A realização dessa visão exige que os líderes entendam os impactos técnicos e humanos dessas ferramentas. A nova tecnologia pode trazer aprimoramentos empolgantes, mas deve ser projetada e implantada sem perder de vista a forma de cuidar de seu pessoal, por meio de treinamento, gerenciamento de desempenho e reconhecimento.

Essas mesmas novas tecnologias promissoras podem sair pela culatra no local de trabalho. Muitos trabalhadores já estão sentindo os efeitos adversos de estar "sempre ativo". Os mesmos telefones celulares que oferecem uma tremenda conveniência também podem levar os trabalhadores a sentir que nunca terão chance de descansar e se recuperar do estresse do trabalho. Casos legislativos estão surgindo em todo o mundo que tentam ajudar as pessoas a se desligarem, proibindo a demanda dos empregadores pelo tempo das pessoas fora do trabalho. Mas o que significa "fora do trabalho" quando é sempre possível se envolver?

Trabalho inspirado

Sem uma cultura saudável centrada nos valores que são importantes para os funcionários, não há como ter funcionários que trabalham inspirados. Com isso, queremos dizer que todos têm o direito de ter um ótimo chefe, em um ótimo local de trabalho, que os ajude a obter ótimos resultados. Para ter sucesso, todo trabalhador precisa de um chefe que colabore com eles na aquisição contínua de habilidades.

Os trabalhadores mais jovens estão começando a questionar o valor de um diploma de quatro anos e estão se voltando para meios alternativos de adquirir as habilidades necessárias para ganhar a vida. Os empregadores precisam ser igualmente inovadores e flexíveis quando se trata de avaliar possíveis candidatos e desenvolvê-los no trabalho. Sem grandes líderes, os funcionários se debatem na melhor das hipóteses e o abandonam na pior. As habilidades de liderança podem ser desenvolvidas e medidas. Os líderes podem e devem ser responsabilizados por essas habilidades mensuráveis, assim como por outros resultados comerciais críticos.

Fonte: https://www.forbes.com

Topics: Indicadores, Recursos Humanos, Gestão de pessoas

Nova call to action

Conteúdo exclusivo sobre RH! Inscreva-se:

Últimos Posts