Agende uma Demo >

O Maior Hub de RH do Brasil | Taqe

Nova call to action

Absenteísmo: o que é, causas, custos e cases de solução

Marcelo Marcondes - Atração de Candidatos

O absenteísmo surgiu desde a formação das empresas e ainda apresenta inúmeros desafios para lidar com ele. A área de Recursos Humanos é responsável por buscar e implementar diferentes estratégias para evitar que o índice de absenteísmo oscile mensalmente. A ausência do colaborador causa impactos econômicos para a empresa e de sobrecarga para outros que precisam realizar o seu trabalho e o do colega ausente. O país também sente o preço no bolso, já que o afastamento atribuído à saúde custa mais de R$ 6 bilhões por ano ao Brasil.

O que é absenteísmo

É o termo utilizado para designar a falta de assiduidade no trabalho. O absenteísmo é o número de dias ou horas de trabalho perdidos, faltas e atrasos (justificados ou não), férias e afastamentos. Ou seja, o absenteísmo é uma métrica que mede o grau de mão de obra desperdiçada, o que impacta diretamente na produtividade da empresa.

Por que medir a taxa de absenteísmo?

Não medir e identificar as causas do absenteísmo impacta nos resultados da empresa, nos custos financeiros, na taxa de rotatividade, na qualidade da produção e no clima organizacional. É papel da área de Recursos Humanos medir essa taxa e criar estratégias para reduzir e prevenir que esse índice alcance altas porcentagens durante os meses de trabalho.

Quais são as causas e impactos do absenteísmo nas empresas

Os trabalhadores se ausentam do trabalho por diversos motivos. Há ocupações dentro da empresa que não precisam ser substituídas por outra pessoa no dia, entretanto o trabalho é acumulado para o dia seguinte que o colaborador se faz presente no trabalho. Isso gera um impacto na produtividade e pode sobrecarregar o colaborador.

Há ocupações que, se o colaborador se ausentar, a empresa precisa encontrar uma forma de substituir essa pessoa, pois ela é fundamental para a fabricação do produto ou para o oferecimento de um serviço. Podemos citar como exemplos: professores, funcionários da área de produção em série, recepcionista, motorista.

Veja quais são os motivos mais comuns que levam ao absenteísmo:

  • Doenças: lesões e consultas médicas são bastante comuns, embora nem sempre são um motivo verdadeiro. Principalmente na temporada de gripes, é bastante comum ter altas taxas de absenteísmo.
  • Assistência infantil ou a idosos: funcionários com filhos ou com idosos em casa podem se ausentar sem aviso prévio para cuidar da saúde dos filhos ou dos pais.
  • Falta de comprometimento: quando o funcionário não está engajado e comprometido com o emprego, eles simplesmente não têm motivação para ir e não se importam de faltar, seja uma falta justificada ou não. A falta de comprometimento também pode levar o funcionário a chegar todos os dias atrasado, sair mais cedo ou fazer pausas prolongadas durante o dia de trabalho, afetando a produtividade da equipe e a moral do local de trabalho.
  • Esgotamento ou estresse: altas cargas de trabalho, pressão para cumprir prazos, longa distância ou grande tempo de deslocamento para empresa, sentimento de desvalorização e estresse pessoal e profissional também são causas das ausências no trabalho.
  •  Procura de um novo emprego: comparecer a entrevistas para outro emprego é um motivo comum, porém que é difícil do empregador identificar, pois normalmente o trabalhador informa outro motivo da ausência.
  •  Bullying e assédio: quando os funcionários são intimidados ou assediados por outros da equipe ou até mesmo por líderes, eles se dizem doentes para não ir trabalhar e evitar alguma situação.
  • Depressão: a doença do século pode levar o colaborador a utilizar drogas, álcool ou remédios para se automedicar, não estando em condições de ser assíduo no trabalho.

Nova call to action

Custos do absenteísmo

O absenteísmo gera improdutividade de operação. O absenteísmo, juntamente com outras falhas operacionais causadas pelo capital humano – como a rotatividade, por exemplo, fazem as empresas brasileiras perderem R$ 230 milhões por ano.

Os custos são atribuídos a fatores como:

  • Pagamento de salários integrais a funcionários ausentes;
  • Alto custo para a substituição temporária do trabalhador (pagamento de hora extra);
  • Custos administrativos relacionados a gestão do absenteísmo;
  •  Diminuição da qualidade na entrega de soluções entregues aos clientes;
  • Custos com segurança, pois nem todos os funcionários estão treinados para substituir uns aos outros;
  • Solução de conflitos internos decorrentes das faltas constantes dos integrantes da equipe;
  • Aumento das taxas de rotatividade.

Como lidar com o absenteísmo

Para você definir estratégias para diminuir com o absenteísmo na empresa, o primeiro passo é você entender os motivos que estão levando os funcionários a se ausentarem. Analise os tipos de absenteísmo e quais os fatores que estão levando o funcionário a tomar a decisão de não comparecer ao trabalho.

O segundo passo é criar uma estratégia com o objetivo de incentivar os funcionários a serem assíduos, por exemplo, a criação de um programa de recompensa aos funcionários que não faltarem trabalho em um período estipulado (trimestre, semestre, ano).

Quando os motivos de absenteísmo são mais graves como assédio ou sobrecarga de trabalho, é necessário que a área de Recursos Humanos haja para que o problema seja resolvido antes de o colaborador tomar a decisão de deixar a empresa.

Como reduzir e prevenir esse problema

A verdade é que o absenteísmo, por melhor que seja a empresa, não conseguirá ser completamente extinto. Afinal de contas, problemas pessoais e de saúde existem na vida de todos os colaboradores.

Contudo, a empresa pode se atentar a alguns detalhes que podem ajudar a reduzir ou prevenir o absenteísmo, já que muitas vezes os colaboradores simplesmente optam por não comparecer ao trabalho, sem nenhuma causa relacionada à saúde ou problemas pessoais. Veja como a empresa pode fazer a sua parte para evitar e prevenir esse problema:

Disponibilizar boas condições de trabalho

Não só as boas condições estruturais dos postos de trabalho, mas também o pacote de benefícios e valorização dos funcionários. Trabalhar em uma empresa onde pode-se notar o cuidado com o bem-estar e na qualidade de vida dos funcionários desenvolve o sentimento de pertencimento à equipe e aumenta o engajamento - esses são dois fatores que evitam as faltas desnecessárias por parte dos colaboradores.

Dar atenção ao clima organizacional

Harmonia e acolhimento devem estar presentes no clima organizacional para que a realização do trabalho tenha fluidez. Os funcionários devem se sentir felizes e determinados a darem os seus melhores em busca dos objetivos e metas da empresa. Estimule as relações interpessoais dos integrantes da equipe através de eventos e encontros mais descontraídos.

O bom clima organizacional começa lá na contratação do colaborador. Além de habilidades técnicas e conhecimentos específicos, quando a empresa se preocupa em contratar levando em consideração o fit cultural, aumenta as chances de alto engajamento e pertencimento dentro da equipe.

Oferecer reconhecimento e oportunidades de crescimento

O funcionário precisa de um propósito para se manter engajado e isso pode vir do reconhecimento ou do oferecimento de oportunidades de crescimento dentro da equipe. Quando os funcionários enxergam que são valorizados, eles evitam ao máximo se ausentar do trabalho.

Se importar com a saúde ocupacional

As doenças ocupacionais (esforço repetitivo, distúrbios osteomusculares, problemas de visão e audição) são causadas pelo tipo de atividade diária ou as condições do posto de trabalho dos colaboradores. A conscientização das doenças ocupacionais (através de eventos como a SIPAT) tem grande importância para que não haja acidentes de trabalho ou desgaste do corpo causado pelo trabalho.

Conscientizar sobre a importância da atividade física e alimentação equilibrada

Uma das causas do absenteísmo é a doença. O corpo humano é uma máquina e ele precisa de manutenção diária para se manter saudável. A prática de atividade física e a ingestão de uma alimentação equilibrada são fundamentais para que o corpo se mantenha saudável e em pleno funcionamento. Conscientize e incentive os seus colaboradores a optarem por uma vida mais ativa fisicamente e com bons hábitos alimentares, isso irá ajudar a reduzir as faltas causadas por doenças.

Tipos de absenteísmo

Há diferentes tipos de ausências e elas são divididas em:

  • Faltas voluntárias: ausências por motivos particulares (problemas pessoais) e não justificados.
  • Faltas por doenças: atestado médico justificando a impossibilidade de comparecer ao trabalho.
  • Faltas legais: férias, licença maternidade, serviço militar, óbito de um familiar.
  • Afastamento por patologia profissional: doença ocupacional comprovada.

Relação entre absenteísmo e rotatividade

Esses dois índices podem ser relacionados dentro do ambiente organizacional. A rotatividade, também conhecida como turnover, é o índice de contratações e demissões em um mesmo período de tempo.

As altas taxas de turnover podem ser ocasionadas pelo absenteísmo. A ausência constante de colaboradores gera insatisfação no ambiente de trabalho, pois quem é assíduo frequentemente precisa realizar o trabalho do colega ausente. A infelicidade no ambiente de trabalho é um forte motivo para os colaboradores buscarem oportunidades profissionais em outras empresas.

Nova call to action

Diagnóstico e cálculo das faltas

Se você nunca mediu a taxa de absenteísmo da sua empresa, veja como utilizar uma fórmula bastante simples para encontrar o índice e diagnosticar possíveis problemas relacionados ao absenteísmo.

Para calcular a taxa de absenteísmo, você deve levar em consideração o número de funcionários, os dias trabalhados e a jornada de trabalho. Vamos utilizar um exemplo para facilitar a compreensão:

Supomos que a empresa possua 100 funcionários, com uma jornada de trabalho de 8 horas cada um. Neste mês, há 22 dias úteis.

Portanto: 100 (funcionários) x 8 (horas de trabalho) x 22 (dias úteis) = 17.600 horas/mês.

Agora, é hora de calcular as faltas, atrasos e saídas antecipadas. Supomos que desses 100 funcionários, 35 faltaram 1 dia inteiro de trabalho no mês, 40 chegaram 1 hora atrasado e 32 saíram 1 hora mais cedo, não completando a jornada integral de 8 horas.

Então, o cálculo de horas não trabalhadas é:

35 x 8 = 280 (horas perdidas de trabalho) + 40 (atrasos) + 32 (saídas antecipadas) = 352 horas.

Para saber o índice de absenteísmo, vamos dividir o número de horas não trabalhadas pelo número de horas de trabalho que a equipe deveria performar.

352 / 17600 = 0,02 (multiplique por 100 para ter o índice).

0,02 x 100 = 2% é o índice de absenteísmo no mês. A taxa aceitável é de até 4% ao mês.

Relação entre absenteísmo e ergonomia

Adaptar os postos de trabalho para garantir maior conforto e saúde dos funcionários tem relação direta com o absenteísmo. Para isso, utiliza-se a ergonomia para otimizar as condições de trabalho, especialmente quando há atividades repetitivas ou que ofereçam riscos ocupacionais.

A Norma Regulamentadora 17 (NR17) é responsável por tratar a adaptação do trabalho às necessidades de cada trabalhador, sendo um guia para melhorar o ambiente de trabalho através da ergonomia, diminuir doenças ocupacionais e aumentar a satisfação dos colaboradores. A NR17 aborda pontos como: tipos de mobiliário, segurança de equipamentos, regras para levantamento de peso e descarga de materiais, entre outros.

Cases de sucesso de empresas que reduziram o absenteísmo

Vamos lhe mostrar na prática empresas que identificaram o problema de absenteísmo e colocaram estratégias em práticas para obterem sucesso na redução das taxas de ausência.

GA.MA Italy Brasil

Um case de sucesso que mostra a importância do RH em colocar em prática estratégias para diminuir as taxas de absenteísmo. O RH da empresa decidiu oferecer benefícios aos funcionários que tinham relação indireta com a família, como por exemplo: Short Friday – onde o colaborador poderia sair mais cedo na sexta-feira para viajar ou ter um tempo de qualidade com a família – e horários flexíveis.

Além disso, a empresa também implementou práticas relacionadas a saúde do colaborador como: palestras de conscientização a prevenção de doenças, acompanhamento nutricional e parceria com uma empresa com benefícios em academias em todo o país.

A empresa percebeu que ao envolver indiretamente as famílias, impactando na relação dos trabalhadores com seus filhos, companheiros(as), traria resultados positivos como redução de turnover, aumento da produtividade e satisfação do colaborador por se sentir valorizado e cuidado.

Sequoia

Essa empresa de São Paulo decidiu por outra estratégia que também teve ótimos resultados. A Sequoia adquiriu uma nova companhia que tinha sede à 30 quilômetros de sua matriz. O objetivo era reunir todos os funcionários em uma mesma sede. O aumento da distância entre o local de trabalho e a residência destes colaboradores alertou ao RH da empresa para altos índices de absenteísmo e turnover.

Em parceria com o Taqe, a Sequoia abriu um processo seletivo que preencheria as novas vagas iniciais oriundas da aquisição, e também para disponibilizar um banco de talentos com candidatos aprovados que seriam contratados a medida em que os funcionários atuais não se adaptassem com a integração da nova rotina.

Critérios de seleção como geolocalização (bairro onde o candidato reside), perfil comportamental e conhecimentos específicos foram utilizados para a seleção e aprovação dos profissionais. O projeto ofereceu uma economia de 5x no tempo de preenchimento de novas vagas em aberto e ajudou a manter em níveis satisfatórios as taxas de turnover e absenteísmo. Ficou curioso em como esse projeto se desenvolveu e entregou tantos resultados positivos? Acesse o case completo aqui.

Conclusão

A empresa é responsável por manter o colaborador engajado e comprometido. A gestão oferecida pelo time de Recursos Humanos tem papel fundamental para reduzir os níveis de turnover e de absenteísmo.

As estratégias devem ser pensadas antes mesmo da contratação. Defina os critérios de seleção e os perfis de colaborador que apresentam o fit cultural com a empresa. A plataforma do Taqe utiliza algoritmos e inteligência de dados com o objetivo de encontrar o match perfeito entre candidatos e vagas em aberto. O segundo passo é criar boas condições de trabalho e focar na melhoria do clima organizacional para que os colaboradores se sintam cuidados, valorizados e motivados a darem o melhor de si em prol aos objetivos e metas da empresa.

Agende gratuitamente um teste da plataforma Taqe e aposte na contratação eficiente para reduzir os índices de turnover e absenteísmo da sua empresa.

Topics: Indicadores, Recursos Humanos, Recrutamento e seleção, Gestão de pessoas

Nova call to action

Conteúdo exclusivo sobre RH! Inscreva-se:

Últimos Posts