Agende uma Demo >

O Maior Hub de RH do Brasil | Taqe

Nova call to action

Soft Skills: porque é importante e quais os 3 principais que você precisa

Renato Dias
Sigam me:

Qual é a fórmula para a construção de uma empresa que pode não apenas suportar os climas de mudança e incerteza em que vivemos, mas transformar e inovar? Antes, a fórmula era criar uma equipe que tivesse o conhecimento técnico e a experiência de trabalho para executar no "plano".

Agora, especialistas em habilidades sociais e intersociais, estão trazendo a importância da capacidade de gerenciar e controlar suas emoções, habilidades de comunicação, liderança, adaptabilidade e solução de problemas. E eles estão provocando uma reavaliação em grande escala de seu valor. De fato, um novo estudo do Boston College, da Universidade de Harvard e da Universidade de Michigan descobriu que o treinamento de habilidades sociais, como comunicação e solução de problemas, aumenta a produtividade e a retenção em 12% e proporciona um retorno de investimento de 250% com base em maior produtividade e desempenho. retenção.

Hoje, como as empresas precisam cada vez mais se tornar mais dinâmicas, interconectadas e flexíveis, as habilidades sociais são críticas. De acordo com o relatório de tendências globais de capital humano da Deloitte, os executivos agora consideram essas habilidades importantes para promover a retenção de funcionários, melhorar a liderança e construir uma cultura significativa. De fato, 92% dos entrevistados da Deloitte classificaram as habilidades sociais como uma prioridade crítica. Eles observaram que a missão de um líder de RH mudou da de "chefe executivo de talentos" para "chefe de experiência dos funcionários".

A boa notícia é que as habilidades sociais são aprendidas. De fato, especialistas em treinamento em resiliência, especializados em ensino e treinamento em soft skills, diriam que são fundamentais para criar funcionários, equipes, líderes e organizações fortes. Aqui estão as habilidades programáticas mais críticas para criar resiliência e como desenvolvê-las em sua equipe:

1. Solução de problemas

A capacidade de entrar no "modo de solução de problemas" e permanecer nele por longos períodos de tempo - em outras palavras, persiste até que um problema seja resolvido, em vez de se soltar e desistir - é a chave para lidar com os desafios inevitáveis ​​que surgem com qualquer problema. papel de forma mais eficiente e eficaz. Tudo se resume a gerenciar nosso "Estilo explicativo". Nosso estilo explicativo determina como “explicamos” por que as coisas acontecem conosco e se vemos dificuldades como fixas, externas e insolúveis, ou temporárias e fluidas. Muitos funcionários têm estilos explicativos menos resilientes: tornam-se desfocados e lançam uma culpa externa ampla quando confrontados com um desafio ou mudança. Ensino as empresas a ajudar seu pessoal a modificar seu estilo explicativo, vendo os problemas como fluidos e de curto prazo.

2. Controle de emoção

Obter o controle de nossas emoções é a habilidade pessoal mais importante que podemos aprender. De fato, existe uma alta correlação entre a regulação emocional e nossa capacidade de gerenciar nosso estresse e permanecer produtivos sob pressão.

Ansiedade (que geralmente é o medo de ameaças futuras), frustração (a sensação de que você não tem recursos suficientes) e raiva (a sensação de que algo ou alguém está violando seus direitos), são as emoções mais comuns que as pessoas trazem para o trabalho. Eles podem prejudicar nossa capacidade de avaliar e reagir com precisão ao que está acontecendo em situações adversas e estressantes.

A chave é desenvolver a consciência de nossos gatilhos de estresse - mudança no escopo do projeto, um cliente insatisfeito e, assim por diante, - e nos pegar antes de entrar em uma reação emocional habitual. Além disso, ensino líderes e gerentes a identificar essas emoções em sua equipe e treiná-los para voltar à calma e ao foco. Controlar o controle emocional pode mudar o jogo.

3. Encontrar um Propósito

Sentir-se conectado a uma missão além de nós mesmos e do nosso próprio interesse funciona como fonte para levar os líderes e suas equipes a momentos difíceis, que invariavelmente acontecem no trabalho. O propósito de desenvolvimento pode ser ensinado e envolve aprender como reformular nosso trabalho em um contexto mais amplo e focar na contribuição pessoal para a missão geral da organização. Isso envolve o desenvolvimento de uma mentalidade em nós mesmos e em nossa equipe que costuma perguntar: Qual é a missão maior? Por que eu venho trabalhar todos os dias? Que tipo de legado devo deixar? Em um ambiente em mudança, um funcionário com um apego abrangente à missão de uma organização está mais disposto a manter o foco e a perseverar - para ver seu papel maior do que qualquer problema, desafio ou projeto com o qual esteja lidando diariamente.

Estamos entrando em uma nova fronteira na força de trabalho. Ao enquadrar as habilidades sociais como uma disciplina de ensino, podemos posicionar nossas empresas para prosperar em uma atmosfera que funciona com resiliência tanto quanto com conhecimento técnico.

fonte: forbes.com

 

Nova call to action

Conteúdo exclusivo sobre RH! Inscreva-se:

Últimos Posts