Agende uma Demo >

O Maior Hub de RH do Brasil | Taqe

Nova call to action

Usando o recrutamento baseado em dados para sobreviver ao novo normal

Apesar dos avanços farmacêuticos e da recente introdução de novas vacinas contra o coronavírus, o mundo estará lidando com os impactos contínuos e potencialmente de longo prazo da pandemia no futuro previsível. Odeio ser o portador dessas notícias, mas é verdade. Como tal, muitas organizações passaram a chamar as circunstâncias atuais de "novo normal" e podem estar certas, pelo menos por agora. Se e quando a situação mudar, as equipes de RH e de aquisição de talentos terão a tarefa de evoluir. É o que eles fazem, e é provável que 2021 seja mais do mesmo nesse aspecto. Mesmo assim, a maioria dos profissionais desse espaço não tem o que precisa para se adaptar - e o que precisa são dados.

Ainda assim, a Deloitte identificou o que chamou de "lacuna de prontidão", explicando que "setenta e cinco por cento das organizações pesquisadas dizem que criar e preservar o conhecimento em forças de trabalho em evolução é importante ou muito importante para seu sucesso nos próximos 12-18 meses, mas apenas nove por cento dizem que estão prontos para enfrentar esta tendência. " Isso significa que apenas 9% têm a inteligência necessária para obter, recrutar, contratar e reter sua força de trabalho.

Claramente, há uma desconexão entre onde estávamos há um ano e onde estamos hoje, que precisa ser corrigida. Isso começa com uma compreensão mais profunda de como os dados apoiam os resultados em nossas condições atuais e além.

Mostre, não diga.

O objetivo do recrutamento baseado em dados é alavancar informações tangíveis em todo o seu processo de contratação. E a maneira de você obter bons dados é fazer com que as pessoas - interna e externamente - realmente operem nas plataformas e sistemas que você usa. Como qualquer pessoa que já fez uma implementação de software ou projeto de gerenciamento de mudança pode atestar, isso pode ser uma tarefa difícil.

Requer a adoção de uma mentalidade operacional por parte da sua organização, para que a coleta de dados passe a fazer parte do seu dia-a-dia. Uma forma de encorajar isso é mostrar o que funcionou, o que não funcionou e onde há espaço para melhorias. Dadas todas as incertezas vividas recentemente, poucas pessoas têm uma noção real do que realmente aconteceu. Ao construir os dados históricos e colocá-los diante dos gerentes de contratação e de outras partes interessadas, você pode fazer com que eles imaginem o que é possível.

Melhores dados significam melhores decisões.

Uma vez que sua organização vê os dados em ação, é mais provável que você veja uma melhor tomada de decisão apenas ao adotar boas práticas. Mas isso não é tudo. Com o tempo, a análise resultante por meio de aprendizado de máquina e inteligência artificial também se torna mais inteligente e fornece informações mais significativas.

Ao incorporar dados ao longo do processo, você adquire muito mais conhecimento. Você pode aprender quais tipos de conteúdo atraem quais tipos de candidatos e como isso pode ajudar as iniciativas de diversidade e inclusão. Você pode perceber se, onde e quando os candidatos desistem. Você pode descobrir quais qualidades, experiência e históricos resultam em mais contratações, bem como o que acontece após a integração. Ter uma visão completa também deve levar a melhorias na estratégia e alcance, incluindo melhores critérios de avaliação. A adição de automação pode ajudar a agilizar o recrutamento com base no que dizem os dados, com todos os caminhos que levam de volta à decisão.

As métricas se alinham aos objetivos de negócios.

Em última análise, usar dados no recrutamento é muito parecido com usá-los no chão de fábrica. Você quer saber o que está acontecendo no ponto de atividade e, a partir daí, se precisa virar à direita ou à esquerda para sair do warehouse. Da mesma forma, as equipes de RH e de aquisição de talentos desejam conselhos simples e fáceis de seguir que os apontem na direção certa.

Por exemplo, um ser humano em uma tarde de sexta-feira, depois do almoço, pode não ser muito confiável quando chega a hora de selecionar um lote de candidatos. Eles provavelmente estão cansados ​​e prontos para o fim de semana. Os dados permitem que o processo permaneça em andamento, capaz de selecionar os candidatos de forma objetiva e ao mesmo tempo levar em conta fatores como D&I. Com os dados, o recrutamento vai dos instintos aos insights, trabalhando em conjunto com objetivos de negócios maiores.

Em tempos de grande incerteza e mudança, o insight torna-se cada vez mais valioso. Para o recrutamento, acredito que não há insight mais valioso do que aquele fornecido pelo uso consistente de dados. Ele cria contexto e ajuda a explicar o que poderia ser visto como inexplicável. É por isso que 82% das empresas disseram à Deloitte que precisam "fazer um trabalho melhor de vincular o conhecimento à ação", porque quanto mais sabemos, mais somos capazes de realizar - novo normal ou não.  

 

Tradução

Topics: Recursos Humanos, Recrutamento e seleção, Processo Seletivo, Tecnologia

Nova call to action